ARTIGO JIU JITSU – GRADUAÇÃO

8 out

artigo jiu jitsu 235 graduação

Nos últimos tempos, o questionamento de graduações tem saído das conversas internas das academias para um âmbito maior, até mesmo entre as mídias. Lutadores questionando graduações inclusive de outras equipes, de pessoas com quem não convivem, de atletas que não conhecem ou pouco conhecem. Recentemente circulou na mídia um vídeo em que dois professores rebaixam um faixa marrom para faixa roxa. Em uma matéria comentei que na minha academia já apareceram atletas que no meu julgamento não mereciam aquela faixa. Creio que você pode e deve, caso não o avalie com condições de estar naquela graduação, seguir alguns caminhos, como não registrá-lo na Federação com a faixa que ele diz ter, por exemplo. Não permita que ele entre em competições, não o gradue até que em sua concepção ele atinja o nível desejado. Mas discordo com o ato de rebaixar. Use seus critérios e respeite os de outros professores. Apenas explique ao seu novo aluno, ou pretendente a entrar na sua academia, as suas condições para que ele possa juntar-se à equipe. Foi como procedi no caso de um faixa marrom que apareceu para treinar e entrar na equipe. Após a aula me sentei ao lado dele, expliquei minhas conclusões e deixei claras as minhas condições para que ficasse conosco. O lutador de imediato sentiu-se ofendido e saiu. Passado um tempo, por acaso descobri que ele foi até a faixa azul com o ex-professor. Imaginem se eu apenas pensasse em mensalidades ou em ter mais um competindo? Ao inscrevê-lo na Federação estaria legalizando sua faixa. Esse sim é um aspecto com que todo professor deve ter cuidado, registrar seus alunos na Federação. E quando o aluno for recente e com graduação, observe-o nos treinos. Em caso de dúvida, seja prudente, não registre. Uma vez registrado, seu nome estará atrelado ao dele. É um tema importante, mas deve-se ter muito cuidado, cada caso é um caso distinto. Certamente em minhas graduações também não tenho a concordância de todos, mas é necessário ter os meus critérios e a minha consciência tranquila. As críticas em ambas as direções serão sempre presentes: “Segurou demais a faixa do atleta” ou “graduou rápido demais!”. É um direito de cada um. Mas não concordo com comentários ofensivos, depreciativos; não são construtivos e, portanto, dispensáveis. Será que esse próprio lutador que crítica agora uma graduação de seu professor, ou de outro professor, quando foi graduado tinha ele a concordância de todos em sua equipe? Será? Já li comentários de professores colocando em questão graduações feitas por outros professores por motivos supostamente escusos. Recentemente li numa rede social uma infeliz nota de um professor sobre outro professor. Fiquei pensando: será então esse professor o único que possui capacidade e conceitos exatos para graduações?
É apenas o meu ponto de vista. Bons treinos! OSS!
Luiz Dias, Líder da GAS JJ

Instagram: @luizdiasbjj
Email: geração.artesuave@yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *